Dia da Mulher: qual é o lugar delas na sociedade e na sua empresa?

Quando o tema é o Dia da Mulher e seu significado, muitas vezes o assunto pode se tornar delicado, ou simplesmente se resumir a um “parabéns, feliz dia”. Mas, mais do que lembrar as mulheres, é preciso entender o papel feminino na sociedade, no ambiente comunicacional, e claro, nas empresas.

A luta feminina é histórica e está presente na sociedade há muito tempo. Algumas batalhas como direito ao voto, ao trabalho externo ao lar, à separação, ao anticoncepcional já foram vencidas, mas ainda existe muito pelo que lutar.

Hoje, ainda muitas mulheres passam por diversas situações que precisam de atenção. Segundo o Datafolha/FBSP 2019, por hora, 536 mulheres foram agredidas e 16 mil delas sofreram algum tipo de violência no Brasil em 2018. A violência sexual também apresentou números alarmantes nos levantamentos do Ipead/FBSP 2018, com valores que variam de 822 a 1370 estupros por dia no país.

Na economia

A violência é algo constante e uma barreira na vida das mulheres, mas sob o viés econômico também são apresentados diversos obstáculos. Na verificação realizada pelo Instituto Data Popular, foi possível averiguar que somando os ganhos de todas as mulheres do país em 2013, o montante atingido, R$1,1 trilhão, é o mesmo da renda dos homens – em 2003.

Em uma pesquisa realizada pela Catho em 2018, os dados mostram que mulheres ganham menos que os colegas do sexo oposto em todos os cargos, com uma diferença salarial que alcança em alguns casos, 53%. Mesmo quando o nível de escolaridade é o mesmo, elas ganham menos que os homens.

Fonte: https://glo.bo/2I5nD5r

Quando analisamos os cargos de gerência, além de se repetir uma diferença salarial importante, ainda encaramos um cenário onde apenas 37,8% dos cargos gerenciais no país são ocupados por mulheres, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2018.

Ainda com base na mesma pesquisa, elas possuem uma maior escolaridade do que os indivíduos do que o sexo masculino. Na faixa dos 18 aos 24 anos, 15% das brasileiras estão cursando ou concluíram sua graduação, enquanto, entre os homens o percentual é apenas 11,8%, números trazidos pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP).

Mas faz diferença?

Se alguns dados não impactaram tanto até agora no viés empresarial, esta é a hora em que existirão argumentos fortes a favor das mulheres para sua empresa.

Uma pesquisa realizada pela Endeavor, mostra que o empreendedorismo com mulheres é mais lucrativo: empresas que têm mais de duas mulheres no seu board decisório obtêm 66% a mais de retorno sobre o capital investido. Além disso, têm 53% a mais de retorno sobre o patrimônio.

Um artigo da Harvard Business Review, os professores Malone e Woolley descobriram que há uma relação maior entre o número de mulheres e o desempenho de uma startup do que entre o QI da equipe e seu desempenho. A razão disso é a diferença de vivências entre os sexos, e a perspectiva que cada ser consegue trazer para a empresa, dando a possibilidade de expandir o leque de ideias e atingir um número maior de público para o seu produto ou serviço.

O empresário e investidor Cindy Padnos, também realizou um estudo onde mostra que startups dirigidas por mulheres tiveram retornos 12% mais altos do que aquelas comandadas apenas por homens.

Algo que sua empresa precisa analisar também é o poder decisório das mulheres em relação às compras. Um estudo publicado pelo The Economist mostrou que 80% das decisões de compra em países desenvolvidos são tomadas pelas mulheres, incluindo compras online, e até aquisições de aplicativos para celular. E mesmo em países subdesenvolvidos essa tendência é muito forte.

Este número mostra a grande importância de se pensar em produtos e até mesmo uma comunicação voltada para esse público, o que ainda pode representar um problema. Afinal, de acordo com a consultoria de comunicação com mulheres, 65/10 (meia cinco dez), 65% do público feminino não se identifica com a maneira como as mulheres são retratadas na publicidade.

O lugar da mulher

Em casa, na rua, na sociedade, economia ou na sua empresa, mulheres possuem o direito de ter um lugar que a respeite, valorize e a remunere de maneira adequada. Lugar de mulher é onde ela decidir estar e as barreiras “invisíveis” que a impedem de chegar lá ou então se sentir confortável ao chegar devem ser destruídas.

No Dia da Mulher, pensar sobre todos os dados acima com certeza faz diferença não só para elas, mas para a sociedade e para sua empresa.

Afinal, capacidade e competência são substantivos femininos. 😉

Nos acompanhe nas redes sociais e no blog! 🙂

Compartilhe este post:
Está sentindo o cheirinho? Venha tomar um café com a gente,

Entre em contato