Glossário completo do Marketing Digital

Siglas e nomenclaturas diferentes é o que não falta no mundo do Marketing Digital. Tanto quem trabalha na área, quanto quem solicita um job precisam entender do que se trata esses termos para garantir o sucesso da comunicação.

Para te ajudar a falar um pouquinho do “comuniquês”, separamos algumas expressões que com certeza irão fazer da sua jornada algo mais fácil e agradável. Confira!

 

#1 – Termos para usar na estratégia

– Outbound Marketing: também pode ser chamado de marketing tradicional, ele utiliza de estratégias que interrompem o público e “empurram” seus produtos para os consumidores.

 

– Inbound Marketing: estratégia de marketing que se aproxima do cliente sem o pressionar ou interromper. Com ele é possível despertar o interesse do consumidor, o atraindo por meio de conteúdo relevante e com frequência ideal.

 

– Persona: personagem criado com base em uma análise mais profunda do público-alvo da empresa. Com as personas definidas corretamente é possível direcionar o conteúdo de maneira muito mais assertiva.

 

– Marketing de Conteúdo: utilizar conteúdo para se aproximar do público é um preceito no Inbound Marketing. Com um conteúdo assertivo e próprio para as personas é possível otimizar o investimento e aumentar a taxa de conversão da empresa. Existem diversas maneiras de trabalhar a produção de conteúdo, como em blogs, eBooks, redes sociais e muitos outros.

 

– eBook: pode ser traduzido como livro eletrônico e age como uma estratégia de Marketing de Conteúdo para aproximar o cliente da marca, trazendo assuntos relevantes e que despertem o interesse do usuário.

 

– Webinar: conteúdo disponibilizado em formato de vídeo. Podem ser aulas, palestras, debates que podem ser exibidos ao vivo ou gravados.

 

– Blog: bem conhecido de algumas empresas, o blog serve não só para levar conteúdo relevante para os usuários, mas também para aumentar a autoridade do site nos mecanismos de SEO.

 

– Guest Post: dentro do blog é possível fazer parcerias com outras empresas ou pessoas para que sejam feitos posts de convidados. Estes posts podem fazer parte da sua estratégia de link building para sua empresa.

 

– Palavras-chave: as palavras-chave são utilizadas para facilitar o encontro de uma empresa pelos usuários. Utilizar os termos certos nos seus conteúdos faz com que mecanismos de busca vejam que seu site fala sobre determinado assunto, aumentando a autoridade de sua página.

 

– Teoria da Cauda Longa: a utilização de palavras-chave exige estratégia e a Teoria da Cauda Longa explica um pouco sobre isso. Quanto mais específicos os termos utilizados, mais chances de sua empresa ter menos concorrência para ser encontrada. Uma marca de refrigerante de cacau terá muito mais sucesso utilizando “refrigerante de cacau” como palavras-chave do que apenas “refrigerante”. Quanto mais especifico, menos concorrentes e mais chance de sucesso.

 

– Automação do marketing: mecanismos utilizados para que o trabalho seja executado com mais facilidade no Marketing Digital. Normalmente utilizado para se referir ao disparo de e-mails de acordo com os usuários.

 

– Teste A/B: além dos disparos de e-mails poderem ser automatizados, é possível que eles sejam testados. Realizar testes A/B significa enviar um mesmo email com pequenas diferenças, analisando qual estratégia terá mais sucesso. Utilizar diferentes botões de CTA, formas de linguagem, títulos e diversas outras coisas é uma maneira de testar qual estratégia possui maior retorno.

 

– Chatbots: parte da automação do marketing, os chabots são mecanismos que conversam com os consumidores de maneira automática e pré-estabelecida. A utilização dessa ferramenta permite tirar dúvidas do cliente em qualquer horário.

 

– Funil de vendas: representação do estágio em que se encontram os consumidores. Conforme os potenciais compradores vão chegando no fundo do funil, mais perto estão de realizar a compra. O funil diz muito para a empresa, norteando como será feita a comunicação nos diferentes estágios.

 

– Remarketing: consiste em dar uma nova oportunidade para um usuário. Utilizado principalmente para consumidores no meio do funil de vendas, a marca pode impactar um cliente que já entrou em seu site e não realizou a compra com uma nova peça de comunicação.

 

– Landing Page: página criada para converter o usuário em lead ou comprador. Normalmente possui um apelo forte, com um formulário de conversão para ser preenchido.

 

– Formulário de conversão: formulários utilizados em campanhas para que o usuário o preencha com seus dados pessoais para ter acesso a determinados conteúdos. A partir do preenchimento do formulário, este usuário passa a ser um lead.

 

– Banner: são anúncios em forma de imagem presentes em sites, blog e portais de terceiros, ou então podem ser utilizados no próprio site da empresa.

 

– Layout: é o apelo estético de uma página. Depende muito da criatividade e do conteúdo necessário, pensando na usabilidade do usuário e no resultado estético.

 

– CTA: chamado de Call To Action, são botões que chamam os usuários para determinada ação. Podem ser botões como “Compre já”, “Garanta seu desconto” e afins, sempre incentivando o usuário a tomar alguma atitude.

 

– Mobile: traduzido para o bom português significa “móvel”. Utilizado principalmente para falar sobre a importância de conteúdos que se adaptem aos aparelhos móveis.

 

– Leads: quando os usuários preenchem seus dados pessoas e passam a fazer parte do banco de contatos de uma empresa, são chamados de leads. Esse estreitamento do contato facilita o envio de novas ofertas e até mesmo uma venda futura.

 

– Geração de leads: é o ato de gerar contatos para a empresa. Pode ser feito por meio de Landing Pages ou formulários de conversão.

 

– Nutrição de Leads: manter o relacionamento com o contato obtido, o nutrindo com conteúdos relevantes é fundamental para que o usuário mantenha a lembrança da marca.

 

– Segmentação de leads: segmentar a base de contatos significa aplicar filtros nestes leads para serem divididos de acordo com algum critério. É possível segmentar de acordo com a região, interesse, faixa etária e muito mais.

 

– Qualificação de leads: nem todos os leads são boas oportunidades para a empresa. Lembra do funil de vendas? Pois é, os leads podem não estar no momento adequado para que a equipe de vendas entre em contato. Analisar e qualificar os leads ajudará sua empresa a ter mais sucesso nas estratégias e converter as pessoas certas.

 

#2 – SEO

– Domínio: principal endereço de um site. Como em www.google.com

 

– SEO: traduzido como “otimização dos mecanismos de busca”, o SEO é uma técnica utilizada pelos buscadores para definir a posição dos resultados nas SERPs. Os mecanismos analisam fatos como conteúdo de qualidade, utilização de palavras-chave, autoridade do site e muito mais para definir o ranqueamento.

 

– Off Page: para a análise do SEO não são levados em conta apenas fatores que estão dentro do site, mas também dados das redes sociais e tudo o mais que haja na internet sobre sua marca. Esses fatores que estão fora da sua página são chamados de “Off Page”.

 

– On Page: já o On Page, diversos aspectos do seu site são analisados, como a utilização de heading tags, links internos e externos, colocação de alternative text e muito mais. Tudo isso é levado em conta no momento do ranqueamento da busca.

 

– SERP: é a página de resultados de um mecanismo de busca.

 

– Hiperlink: conteúdo clicável que dá acesso à outras páginas do mesmo site ou para outros domínios.

 

– Link building: a prática do link building consiste na estratégia de conseguir mais links externos apontando para o seu site, o que dá mais autoridade à sua marca. Essa construção deve ser feita de forma natural, com páginas que possuam temas relevantes para seu empreendimento.

 

– Autoridade: é o que se usa para definir o ranqueamento de resultados em uma SERP. Sites que possuam conteúdos mais completos, com mais acessos e diversos outros fatores, são considerados no SEO com mais autoridade.

 

– Links internos: são aqueles que redirecionam o usuário para uma outra página dentro do seu website.

 

– Links externos: esse tipo de link, direciona para o site de terceiros, como falado no link building, sempre levando em consideração a relevância das páginas apontadas.

 

– Heading Tags: são recursos de programação em HTML que apresentam títulos e subtítulos de uma página de acordo com sua importância. A H1 precisa ser a mais importante para a página, seguindo a ordem pela sequência.

 

– Meta descrição: é uma breve descrição da página, aquela mesma que aparece embaixo dos resultados na SERP. Ela ajuda a despertar o interesse do usuário no conteúdo ofertado.

 

– Alternative text (alt text):  o alternative text também é um recurso de programação, mas que tem valor fundamental no SEO. É utilizado para descrever uma imagem na web. O alternative text ajuda os mecanismos a entenderem do que se trata uma imagem.

 

– Conteúdo orgânico e pago: em todo mecanismo de busca existem os resultados orgânicos e os pagos. Os orgânicos vêm daquelas análises feitas pelas ferramentas para definir o ranqueamento do conteúdo. Já os pagos, são aqueles primeiros resultados que mostram um sinal de serem anúncios.

 

– Rede de Display do Google: é a rede de sites, sejam eles blogs, portais, páginas e outros para que os anúncios do Google Adwords sejam exibidos.

 

– Adwords: é o serviço de publicidade do Google que permite fazer anúncios pagos tanto para aparecer na SERP como na rede de display.

 

– Facebook Ads: plataforma de anúncios do Facebook. Com ele é possível fazer publicidade paga, com alta capacidade de segmentação através da escolha de características específicas.

 

– Twitter Ads: assim como no Facebook, o Twitter também permite que sejam realizados pagamentos que geram maior alcance de pessoas.

 

– Google Analytics: ferramenta de análise de dados de um site para ter acesso às estatísticas como taxa de permanência, de acesso e muitas outras.

 

#3 – Métricas

– Taxa de conversão: nome dado à porcentagem de usuários que completa uma ação desejada, sejam conversões em leads, em vendas, ou em qualquer outra.

 

– CAC: sigla para Custo de Aquisição de Cliente, diz respeito ao valor gasto para conquistar cada novo cliente.

 

– CPA: o Custo por Aquisição é outro método de cobrança de anúncios, porém este leva em conta o número de conversões realizadas.

 

– CPC: se refere ao Custo por Clique, valor gasto para pagar cada clique realizado em um anúncio.

 

– CPM: significando Custo por Mil é o valor pago a cada mil impressões de anúncio.

 

– CTR: sigla para Click Trough Rate, refere-se à porcentagem de audiência que visualizou uma mensagem e clicou no link disponível.

 

– KPI: são indicadores quantitativos definidos com base no objetivo e estratégia de cada empresa. Cruzamentos de dados para entender com mais propriedade os resultados e monitorar o cumprimento das metas.

 

– ROI: o Retorn on Investment fala sobre qual foi o retorno do que foi investido. É a relação entre receita e gastos.

 

– Pageviews: são as visualizações em uma página.

 

– Taxa de abertura: é a porcentagem de pessoas que abriu um e-mail enviado.

 

– Taxa de cliques: quantidade de usuários que clicaram em qualquer um dos links em um conteúdo.

 

– Taxa de entrega: quantas mensagem foram realmente entregues aos potenciais clientes.

 

– Tempo no site: é a quantidade de tempo que um usuário permaneceu em uma página.

 

– Visita: é contabilizada cada acesso ao site, independente se foi a mesma pessoa ou não.

 

#4 – Programação de site

– Cookies: arquivos simples inseridos no navegador do usuário durante a visita. Esses arquivos guardam informações para que as navegações futuras sejam mais direcionadas e levando em conta as preferências de cada usuário.

 

– CSS: sigla utilizada para definir o Cascading Style Sheets, linguagem de estilo utilizada na programação de páginas.

 

– Erro 404: página de erro quando um código de resposta indica que o servidor não encontrou o que foi solicitado.

 

Esperamos que conhecer estes termos tenha sido útil para você e possa orientar de melhor maneira sua vida nesta empreitada no marketing!

 

Saiba mais sobre o mundo do Marketing Digital! Fique atento ao nosso blog e nos acompanhe nas redes sociais! 😉

Compartilhe este post:
Está sentindo o cheirinho? Venha tomar um café com a gente,

Entre em contato